Acusações e ofensas na Câmara de Muzambinho

Publicado em 10/02/2019 - politica - Da Redação

Acusações e ofensas na Câmara de Muzambinho

Na primeira reunião ordinária em 2019, em 04 de fevereiro, polêmicas do ano passado moveram os intensos debates entre os vereadores. Foi grande a troca de acusações e ofensas, principalmente entre o presidente Canarinho e Dr. Vicente.

Destaque ainda para defesa e elogios ao ex-assessor jurídico Dr. Fernando Cláudio de Oliveira Borelli.

ELOGIOS AO EX-ASSESSOR JURÍDICO - O vereador Chiquinho da Muleta falou da grande amizade com o advogado Dr. Fernando Cláudio de Oliveira Borelli (“Maçaneta”), destacando a sua enorme competência e conhecimento jurídico. O mesmo foi vereador e presidente da Câmara em mandato anterior, tendo atuado como assessor jurídico do Legislativo nos últimos dois anos. Chiquinho manifestou seu respeito ao atual assessor jurídico (Dr. José Roberto Del Valle Gaspar), bem como à atitude do presidente Canarinho de substituição do referido cargo. No final, deixou seu agradecimento ao amigo Dr. Fernando Cláudio pelos relevantes serviços prestados ao Poder Legislativo.

Marinho Menezes destacou que Fernando Cláudio é seu parceiro profissional em várias ações e amigo de longa data. Assim, conhecendo a sua grande capacidade, também gostaria que continuasse a atuar na assessoria jurídica da Câmara. Afirmou que trazia um abraço do ex-assessor jurídico aos vereadores Afrânio e Daniel que foram contrários à sua exoneração. “Houve um erro gritante, proposital, evidentemente, da presidência, juntamente com o Fernando (vereador), que numa trama de negociata pelo voto e a presidência da Câmara, concederam o pedido ao Fernando para que exonerasse o assessor Fernando Cláudio, passando por cima, inclusive, principalmente, do vereador Afrânio. Arrumaram uma forma, a meu ver um ato completamente nulo e exoneraram o Fernando Cláudio. Não tiveram respeito nem mesmo com os parceiros deles de mesa diretora”, relatou. Em seguida, Marinho destacou a grandeza do Dr. Fernando Cláudio, que não questionaria os “trapaceiros da negociata”.

Afrânio Verdureiro revelou que nos últimos dois anos acabou fortalecimento a amizade com Fernando Cláudio, passando a ser seu admirador. Porém, revelou acordo feito no início, quando Fernando da Saúde foi escolhido para indicar um novo assessor jurídico. Assim, desejou as boas-vindas ao novo assessor Dr. José Roberto.

DR. VICENTE DISPARA CONTRA CANARINHO
O vereador Dr. Vicente iniciou seu pronunciamento solicitando o uso total do tempo disponível, bem como o tempo legal conforme estabelece o Art. 160 do Regimento Interno como líder de bancada. Passou, então, a responder denúncias feitas pelo presidente Canarinho em edição anterior do jornal A Folha Regional. Adiantou que cumprirá todo o seu mandato, sendo um fiel cobrador do serviço do presidente, ao contrário do que o mesmo teria dito a amigos de que ele (Dr. Vicente) renunciaria ao seu mandato.
Dr. Vicente comentou o ataque que sofreu através do presidente Canarinho, mas cujo texto teria sido redigido por um profissional “desqualificado, covarde, despreparado e descontrolado”. Autor que vive pelos becos e porões do município, que já esteve envolvido em crimes do famoso Mensalão Mineiro. Autor que se apoia em um cargo político de indicação e não por merecimento. “Mas tudo bem, não perderei o nosso precioso tempo como este tipo de pessoa desprezível”, disse.
Na sequência, Dr. Vicente foi direto: “Vereador presidente desta Casa, Reginaldo Esaú dos Santos, você atingiu o nível mais baixo que um ser humano pode chegar”. Acreditava que o conhecia, mas foi surpreendido. Entende que o mesmo fez um ataque de forma desesperada, covarde e desnecessária, contra pessoas pelas quais tem carinho e fazem parte do seu ciclo pessoal. Acredita que agiu desta forma pelo simples fato de não ter nada contra a sua pessoa. Afirmou que Canarinho “e seu comparsa” atacaram a Sra. Ione Teixeira, sua sogra e pessoa querida. Confirmou que a diretora (Ione) realmente recebe insalubridade, sendo um benefício merecido porque transporta diariamente lixo e animais mortos. Mas se Canarinho acha que há algo de irregular, deveria ter agido nos primeiros vinte e cinco meses de mandato. Como o mesmo assim não agiu, passa então a concordar com o Secretário de que o “vereador vive em outra cidade”. Dr. Vicente manifestou confiança na dignidade dos servidores da Câmara, mas questionou a necessidade de tantos funcionários.
Dr. Vicente também falou da “troca de votos” com o vereador Fernando, que culminou na troca da assessoria jurídica. Manifestou solidariedade e aplauso ao ex-assessor anterior pelo bom desenvolvimento do seu trabalho nos últimos dois anos. Sobre sua pouca presença na Câmara, confirmou que comparece o mínimo necessário, justificando sua posição dizendo que na Câmara “se encontra o maior ninho de cascavéis políticas da cidade”, bastando observar quem são os maiores frequentadores de algumas salas. “São essas pessoas, juntamente com você (Canarinho), os responsáveis pelo atraso político, social e de oferta de empregos da cidade de Muzambinho. Vocês trabalham contra a cidade e em benefício próprio”, acusou. 
O vereador Dr. Vicente também comentou a respeito do recebimento de salário ou subsídios. Disse que ele sim, Canarinho, sempre telefonava para a responsável pela contabilidade perguntando sobre o pagamento. Sobre a promessa de doar o subsídio, perguntou: “Você ou o seu escritor de texto votaram em mim? Acredito e torço para que a resposta seja negativa. Não gostaria de ter que agradecer pessoas sem caráter. Então, se não votou, não te devo satisfação. Cuide da sua vida e do seu salário”.
Dr. Vicente seguiu com declarações fortes. Falando sobre projeto social de jiu jitsu, disse que apoia para que os jovens não tornem pessoas igual o presidente: “Vazias e sem qualidades”. Sobre a acusação de que atendia consultas “relâmpago”, revelou que atendeu muitos eleitores e familiares de Canarinho, inclusive “salvando a vida de seu pai”. Prestou esclarecimentos também sobre seu contrato como médico do município. “Você e seus amigos são contra o trabalho e emprego. Querem eleitores sem condições para trocar votos por carne”, atacou.
O vereador revelou que, em certa ocasião, presenciou Canarinho recebendo uma “sacola de dinheiro” através da assessora de um deputado para fazer campanha. Ao mesmo tempo, usou o próprio filho e nora como prestadores de serviço e recebedores, sem nunca passar um centavo para eles. Também acusou Canarinho de “embolsar” 80% das diárias.
Dr. Vicente declarou que Canarinho tem uma “grande ficha criminal”, na qual consta um inquérito de 2013 quando era acusado de desviar bloquetes da prefeitura. Também falou da acusação de que alguém estaria roubando material da prefeitura com ordem de Canarinho. Questionado na época, Canarinho teria dito ao então amigo Dr. Vicente: “Sou mais temido. Meus amigos na Polícia Civil não vão deixar isso ir prá frente. Isso é perseguição do prefeito”. Relatou ainda ter tomado conhecimento de que Canarinho teria oferecido dinheiro para um cidadão assumir totalmente a culpa.
Terminando seu pronunciamento, Dr. Vicente avisou que não tem medo de cara feita e deixou um recado ao vereador Jota Maria: “...na minha vida tenho duas certezas. Uma delas é a morte, ela vem para todos, infelizmente. A segunda é que o vereador Canarinho é um traíra. Cuidado, você pode até achar que não, mas já já ele vai te trair também”.

CANARINHO QUESTIONOU HONESTIDADE 
O presidente Canarinho comentou a acusação (feita por Dr. Vicente) de que teria recebido um “saco de dinheiro”. Revelou que o valor foi de R$ 4 mil, firmado em contrato para “pagar campanha política”, sendo que o colega João Pezão sabia do que se tratava e ficou com R$ 2 mil para também quitar contas de campanha, conforme contrato. “Podem bater porque aqui tem honestidade”, disse. Argumentou que compra gado na zona rural há mais de 25 anos e nunca deu prejuízo prá ninguém. Canarinho relatou que sobre questão de fazer acordo na Câmara, o próprio Dr. Vicente garantiu o voto a ele com a condição de tirar o assessor legislativo Marcos Cesarino. Segundo Canarinho, Dr. Vicente disse que o assessor deveria receber o seu pagamento fora da Câmara. Não era nem mesmo para ter acesso ao plenário.
Canarinho esclareceu que tem o maior respeito pela Polícia Civil de Muzambinho e nunca afirmou que seria protegido pela polícia. Declarou que João Pezão sabe da questão dos blocos no Alto do Anjo, que montaram contra a sua pessoa. “Foi o vereador e ex-presidente Cleber Marcon, que fez uma covardia, inclusive o Jesiel Tristão me procurou e disse que foi o Cleber que mandou ele fazer contra a minha pessoa”, revelou. Ainda esclareceu que o mesmo cidadão envolvido no caso da doação dos tijolos durante depoimento teria inocentado a sua pessoa. “Esses bandidos da prefeitura, as duas cabeças pensantes que ajudaram a quebrar a Coomam, fizeram essa montagem para tentar me prejudicar”, reclamou.
Em seguida, o presidente confirmou que a Sra. Ione (sogra do Dr. Vicente) realmente recebe insalubridade no valor de R$ 600,00/mês. Acredita que deve haver algum acordo com o vereador, sendo que os funcionários da prefeitura não recebem hora extra. Além disso, Dr. Vicente teria indicado o seu cunhado para receber um terreno no valor de R$ 100 mil do município. “Então, ele não tem esta cara de honesto”, disse.
Canarinho ainda manifestou que o colega Dr. Vicente teria que agir com respeito e não aceitar o serviço de máquina em propriedade particular em loteamento no Bia. Acusou o médico e vereador de trabalhar poucos minutos (consultas relâmpagos) em duas unidades de saúde e receber R$ 95 mil do município. Já para 2019 tem empenhado o valor de R$ 23.800,00. Canarinho indagou como o Dr. Vicente consegue tanto trabalho ao mesmo tempo, recebendo em Muzambinho, Tapiratiba/SP, na UTI da Santa Casa de Guaxupé, da prefeitura de Guaxupé. Também questionou a coerência do colega que não denunciou o caso da esposa do prefeito receber salário em Brasília/DF, também da filha do prefeito e do próprio filho Gustavo Paoliello que recebeu R$ 10 mil do Anastasia e R$ 5 mil de Aécio Neves para fazer campanha no ano passado. “Do Aécio bandido, o filho do prefeito recebeu. O que vocês tem com esse prefeito que ficam protegendo ele?”, questionou.
Sobre críticas contra a sua pessoa, Canarinho foi enfático dizendo: “Anda na cidade e veja o meu nome doutor. Você apareceu lá da Bahia faz uns cinco anos e não tem nada a ver com a gente. A saúde de Muzambinho está uma merda graças a essas pessoas que trouxeram (administração) para trabalhar aqui”. Revelou que na administração anterior o Secretário Itamar tinha que brigar com ele (Dr. Vicente) para o médico ir trabalhar no bairro rural da Macaúbas.
Como Canarinho usava a tribuna, quem estava na presidência era o vereador Afrânio Verdureiro, que teve muito trabalho para controlar os ânimos. Houve xingamentos dos dois lados, visivelmente captados pela gravação e também pela transmissão da Rádio Atividade FM. Dr. Vicente acusou Canarinho de já ter roubado bois de um proprietário rural. Para ele, Canarinho é um bandido com todas as letras.

HONESTIDADE E ÉTICA
O vereador Baiano sugeriu que a Câmara também faça um contrato de prestação de serviço com a Rádio do Povo AM. Acredita, inclusive, que o vereador Jota Maria ficará contente porque também já trabalhou na referida emissora. Em seguida, Baiano destacou o brilhante trabalho prestado à Câmara pelo advogado Dr. Fernando Cláudio. Afirmou que, como assessor jurídico, o profissional transmitiu segurança para tomar as decisões, deixando ainda mais claro e efetivo o trabalho realizado pela Casa Legislativa. Acrescentou que, além do seu vasto saber jurídico, o mesmo muito honrou a Câmara com sua honestidade e ética, demonstrando ser um homem de caráter. Por fim, manifestou que Dr. Fernando Cláudio deixou um legado, não apenas aos vereadores, mas para a população muzambinhense. “Infelizmente, o vereador Fernando Coluce vendeu o seu voto para presidente e o preço foi a exoneração do Fernando Cláudio”, declarou.

OUTROS FATOS NO LEGISLATIVO DE MUZAMBINHO
EXEMPLO, UNIFORMES E CARNAVAL
O vereador Chiquinho da Muleta parabenizou parabenizou o jovem Marco Adriano Pereira (“Marquinho da Nice”) pela conclusão do seu curso na UNIFEG em Guaxupé, com colação de grau no dia 31/01. Como também é portador de necessidade especial, é conhecedor da sua luta e empenho. Em seguida, o vereador lembrou que a cada início de ano vem pedindo que o Executivo viabilize os uniformes para os servidores da prefeitura. No final, fez um pedido para que o Executivo gaste o mínimo possível com a realização do carnaval.

FM, SOM E TENENTE
O vereador Jota Maria falou da parceria com a Rádio Atividade FM que passou a fazer a cobertura e transmissão das reuniões do Legislativo. Assim, considerando o grande número de ouvintes, defendeu o bom nível dos debates. Falou sobre projeto de sua autoria que visa disciplinar o som nas ruas da cidade, principalmente em horários inadequados. Até porque são muitas as reclamações a respeito. No final, o vereador relatou entrevista com o muzambinhense Tenente Coronel Messias Alan Magalhães, que atuou no resgate das vítimas em Brumadinho/MG. Valorizando a atuação, solicitou o envio de votos de louvor e heroísmo, parabenizando pelo trabalho realizado.

TRÂNSITO, MATADOURO E RÁDIO
O vereador João Pezão comentou que seu genro teve o carro apreendido no último por ter estacionado em local inadequado, fato que não questiona. Na segunda-feira, esteve no pátio Sonic por duas vezes para retirar o veículo, mas não encontrou ninguém. Assim, entende que o proprietário deve deixar um funcionário disponível para atender as pessoas. O vereador pediu o envio de ofício ao diretor de trânsito para tomar as providências necessárias.
João Pezão parabenizou o prefeito e todos que sempre se empenharam pela reinauguração do matadouro municipal. Para ele, a reabertura será um grande benefício para o município. Em seguida, anunciou o início de construção da quadra poliesportiva do bairro Vila Socialista, agradecendo o então deputado federal Aelton Freitas que concedeu o recurso de R$ 250 mil necessário para a execução da obra.
O vereador parabenizou a Rádio do Povo AM que sempre se colocou com as portas abertas e à disposição da população de Muzambinho. “Fui chutado para fora da Rádio Atividade e hoje a minha voz está saindo lá porque está sendo pago”, disse.

RODOVIA E RÁDIO
O vereador Fernando da Saúde lembrou que em 2017 encaminhou ofício ao deputado estadual Sávio Souza Cruz pedindo ação dos órgãos responsável (DNIT e DER) no sentido de recapeamento e sinalização na rodovia BR 491 entre Muzambinho e Guaxupé. O deputado agiu junto ao presidente do DNIT e encaminhou as respostas, confirmando seu empenho. Agora, a rodovia foi recuperada de forma emergencial, inclusive com a devida sinalização. 
Fernando da Saúde ainda tentou explicar sobre a questão envolvendo o seu nome e a exoneração do ex-assessor jurídico. Ele estourou o seu tempo e acabou não esclarecendo.
Em seguida, Fernando da Saúde parabenizou os colegas pelo excelente contrato firmado com a Rádio Atividade FM. Neste momento, foi intenso o debate entre os vereadores Fernando, Dr. Vicente, João Pezão, Baiano e Jota Maria, envolvendo o questionamento sobre o interesse ou não da Rádio do Povo. Fernando esclareceu que foi feita uma reunião com a Rádio Atividade, sendo cogitado que o diretor da Rádio do Povo não tinha interesse em firmar o contrato. Também foi cogitada a falta de documentação da emissora.
NOTA: A reportagem manteve contato com o diretor da Rádio do Povo AM, Carlos Alves Poscidônio, que revelou que a emissora está rigorosamente em dia com sua documentação e ele nem foi procurado pela mesa diretora ou assessoria da Câmara.