COLUNA MG (07 de Dezembro)

Publicado em 07/12/2017 - Coluna Minas Gerais - Da Redação

COLUNA MG (07 de Dezembro)

OAB preocupada com presídio de Teófilo Otoni

            A 28ª Subseção da  OAB/MG, através do seu  presidente, Alan Kardec  Francisco Souza, e do presidente da Comissão Carcerária, Alonso Andrade,  está preocupada com a  situação por qual passa o  Presídio Regional de Teófilo Otoni. Alan Kardec explica  que a OAB não encabeçou  o movimento com intenção  de "defender bandidos"  como muitos podem pensar, mas sim, com um fim  social, preservar as garantias e os direitos constitucionais das pessoas que  estão detidas no presídio. Um dos problemas,  por exemplo, é a superlotação, segundo Kardec,  são quase 800 presos em  um lugar onde só poderia  abrigar 278, ou seja, mais  do dobro da população carcerária. (Tribuna do Mucuri)

 

Câmara de Divinópolis ganha canal de rádio

            O presidente da Câmara de Divinópolis, Adair Otaviano (PMDB), renovou o acordo de cooperação técnico com a Câmara Federal e Assembleia Legislativa de Minas Gerais para a adoção de ações conjuntas visando à transmissão da rede de TV Digital. A Câmara de Divinópolis foi contemplada com o direito de instalar a Rádio Câmara. O Legislativo local já tem assegurado o direito ao canal próprio de televisão, no canal 25, consignado pelo Ministério das Comunicações, mediante de uma subcanalização do canal de televisão digital e a instalação de uma estação de radiodifusão. (Ascom)

 

Obras do Ginásio Municipal estão paradas

            Iniciadas há mais de uma década, exatamente em novembro de 2006, as obras de construção do Ginásio Poliesportivo Jornalista Antônio Marcos, o Ginásio Municipal de Juiz de Fora, estão paradas desde o final de outubro. A Tribuna recebeu informações de moradores do entorno da construção, localizada ao lado do Estádio Radialista Mário Helênio, no Bairro Aeroporto, de que os serviços no local teriam sido suspensos há cerca de um mês, quando operários, equipamentos e demais insumos para a construção deixaram de ser vistos. A Empresa Metalúrgica Valença Indústria e Comércio Ltda., do Grupo MBP, confirmou a paralisação das obras desde o final de outubro. (Tribuna de Minas - Juiz de Fora)

 

MC faz consultas para prevenir câncer

            Vinte e oito dermatologistas de Montes Claros se uniram para atender gratuitamente a população na cidade, através do Núcleo de Atenção à Saúde e Práticas Profissionalizantes (NASPP). A ação faz parte da campanha "Dezembro Laranja", que visa combater o câncer de pele, tipo mais comum da doença entre os brasileiros. O Instituto Nacional do Câncer (INCA) aponta que, no Brasil, aproximadamente 176 mil casos de câncer de pele são registrados todos os anos.  O dermatologista Kleber de Souza Silveira ressalta que o número é relativamente maior do que o registrado, já que muitas pessoas viveram décadas com o câncer de pele e não procuraram atendimento médico.. (O Norte de Minas - Montes Claros)

 

Projeto leva estudantes ao Fórum

            Com o objetivo de aproximar o Judiciário da população, contribuindo para a formação da cidadania de crianças e adolescentes, o Fórum Melo Viana, em Uberaba, sediou mais uma edição do programa "Conhecendo o Judiciário". Nesta quarta-feira, 6, 30 alunos do 6º ao 8º ano do ensino fundamental, membros dos grêmios estudantis das Escolas Municipais Adolfo Bezerra de Menezes, Joubert de Carvalho e Professora Niza Marquez Guaritá, visitaram as dependências do Fórum de Uberaba. Os estudantes foram recepcionados pelo diretor do Foro, juiz Fabiano Garcia Veronez, que conversou com os jovens sobre papel dos órgãos do poder, em especial sobre o Judiciário. (Jornal da Manhã - Uberaba)

 

Vereadores aprovam Lei Orçamentária 2018

            Apesar de haver 22 emendas apresentadas em relação à Lei Orçamentária para 2018, apenas duas foram aprovadas. Durante as votações aconteceram muitos debates entre os vereadores de Muriaé que justificaram e defenderam suas posições favoráveis ou contrárias às emendas. De autoria do vereador Reginaldo Roriz (PSD), as duas emendas aprovadas ampliam os recursos disponíveis à Fundarte para serem revertidos a Lei Municipal de Incentivo a Cultura, conhecida como Lei Alcyr Pires Vermelho, e às atividades referentes ao Carnaval 2018. Após a apresentação das emendas, discussão e votação, os vereadores aprovaram a Lei Orçamentária 2018. (Gazeta de Muriaé)

 

Aluno do Uniaraxá conquista 2º lugar

            Com um tema voltado para a melhoria em controles internos na administração pública, o aluno Felipe Diogo Duarte, do sexto período do Curso de Administração do Uniaraxá, conquistou o segundo lugar no Prêmio Belmiro Siqueira de Administração 2017, na categoria artigo acadêmico. Com a supervisão do professor Waldecy de Lima, Diogo elaborou o artigo acadêmico "A Importância dos Controles Internos Para Uma Administração Pública Gerencial". Waldecy destacou a importância de incentivar os alunos a participarem de competições nacionais para que conquistem bons resultados em sala de aula, mas acima de tudo, para que obtenham êxito nas oportunidades ofertadas pelo mercado de trabalho. (Diário de Araxá)

ASCOM

MINAS 4.0

Stefan Salej 

A economia mundial está se transformando com uma rapidez como nunca antes na história. É só lembrar que há 25 anos poucos tinham o "tijolo" chamado telefone celular e ver como está hoje: quase 100 % da população brasileira tem celular (a maioria smartphones) e 8  % de todas as compras são feitas via celular, sendo que se espera que em dez anos passe para 50 %. Comprar passagem, seja de ônibus, seja de avião, pedir taxi (morreu o taxímetro), coordenar viagem com Waze e se comunicar com um grupo de pessoas via Whatsapp (inclusive para viajar juntos e com isso deixar de viajar de ônibus) é tão comum como reservar hotel ou hospedagem via Airbnb ou outro aplicativo. 

Estas são algumas das mudanças que estão visíveis. Abrir conta no banco digital e movimentar dinheiro via internet é outra. E assim há dezenas de aplicativos de tecnologias novas que há alguns anos atrás não existiam. E mais uma dezena que estão em execução, afetando a nossa vida com nomes como blockchain, segurança cibernética, robótica, internet das coisas, inteligência artificial, big data e analítica, quantum computers, impressoras 3 D (esta já esta velha), drones, e indústria 4.0,  que reúne tudo isso nos processos industriais.

 

O Brasil vive uma profunda crise institucional e uma transição política. Mas vive ao mesmo tempo em um mundo em profunda transformação tecnológica, que afeta todo o sistema econômico. Será que essa transformação tecnológica (veja o voto eletrônico) não vai transformar o país (sem falar das mudanças na área de comunicação) mais depressa do que as mudanças na área politica? Como estamos nos preparando para essas mudanças? 

No debate promovido pelo Minas em Movimento e pela apresentação do Gustavo Tayar, renomado especialista da consultoria McKinsey e secundado por Wilson Leal, da maior empresa  brasileira de big data, Neoway, ficou claro que o mundo anda e a caravana fica. Ou seja, ou nos preparamos para acompanhar essas mudanças, ou o nosso fosso entre sociedade desenvolvida e subdesenvolvida  (nem em desenvolvimento) vai ficar intransponível.

Programas de start up, estabelecimento de centro de pesquisas da Google, ou de genética animal em Uberaba (estes desglorifidados com um belo artigo na revista francesa Nouvel Observateur), biotecnologia e mais alguns exemplos, não serão suficientes para alavancar a economia mineira. O uso crescente mas limitado de avançados recursos tecnológicos na indústria mineira (como o robô) ou no comércio, não nos garante sermos competitivos. E, por outro lado, os cursos de matemática (quem lembra do saudoso professor Judice), engenharia e física (com o excelente departamento na UFMG) têm se disseminado, assim como os cursos de ciências humanas. Nós vamos precisar de matemáticos, físicos, químicos entre outros, para nos desenvolver. 

O salto tecnológico deve ser liderado pelo próprio governador do estado e deve ser um projeto consensual da sociedade. Ele não é projeto de um mandato e requer esforços e recursos inimagináveis. Inovação em todos os níveis é só uma parte da gigantesca tarefa que temos que enfrentar para sobrevivermos como sociedade (claro que com muitos desafios, inclusive na área de emprego), mas Minas precisa urgentemente de um projeto consistente de seu desenvolvimento, baseado nas tecnologias que o mundo está oferecendo. Minas 4.0.

STEFAN SALEJ, consultor internacional, foi presidente do Sistema Fiemg e do Sebrae MG.